VANTAGENS DO CARDÁPIO DO MEDITERRÂNEO


CARDÁPIO DO MEDITERRÂNEO

Diante dessa realidade, cada vez mais alimentação seguida por esses povos desperta a curiosidade de outros que vivem em guerra contra a balança. afinal, a alimentação mediterrânea emagrece, é saudável e não tem contraindicações.

cardapio-mediterraneo

Confira outros benefícios:

FAVORECE A PERDA DE PESO

É matemática simples. Não há como engordar ou deixar de emagrecer se você elege como alimentos do cardápio ingredientes com baixas calorias e ricos em fibras, enquanto diminui o consumo de itens hipercalóricos, gordurosos ou que contêm açúcar. O corpo fica fininho, mesmo !

REDUZ O COLESTEROL

Os pesquisadores descobriram que o azeite de oliva-um dos principais componentes da dieta mediterrânea- é rico em gorduras monoinsaturadas, que baixam o mau colesterol e os triglicérides, (que  prejudicam as artérias) sem alterar ou até aumentar a taxa do  colesterol bom.

azeite-extravirgem

Além disso, o azeite favorece o consumo de alimentos ricos em antioxidantes (como verduras e legumes) capazes de paralisar a ação  dos chamados radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento das células. Em resumo, a ingestão regular do produto reduz o risco de doenças cardiovasculares e marca um gol a favor do cardápio do mediterrâneo.

PROTEGE O CORAÇÃO

Estudos concluíram que azeite contribui no controle da pressão sanguínea e diminui os riscos de problemas  cardiovasculares. A explicação: a gordura monoinsaturada da oliva age a parede das artérias,  provocando vasodilatação e o consequente aumento no calibre das veias, o que acaba reduzindo a pressão interna e a possibilidade de acidentes vasculares.

Grécia, Espanha e outras nações banhadas pelo Mar Mediterrâneo apresentam índices menores de câncer de cólon e de mama.A causa, mais uma vez, é a alimentação. Os benefícios á saúde se devem principalmente ao potencial antioxidante do cardápio, rico em frutas, hortaliças e outros alimentos crus, cuja ação reduz a probabilidade do aparecimento de tumores.

DEIXE O CÉREBRO MAIS ATIVO

A relação entre a alimentação e a perda da capacidade cerebral foi analisa por cientistas. Os melhores resultados foram obtidos pelos povos que usavam gorduras monoinsaturadas.Além do nosso herói, o azeite, o uso da carne de peixe e de cereais também mereceu aplausos.

Deixe Seu Comentário