Quais os sintomas do hipotireoidismo

Quais os sintomas do hipotireoidismo

HIPOTIREOIDISMO X HIPERTIREOIDISMO: COMO A NUTRIÇÃO PODE AJUDAR?

Quais os sintomas do hipotireoidismo

O hipotireoidismo é um conjunto de sinais e sintomas decorrentes de um distúrbio dos hormônios da tireóide em que ocorre a desaceleração do metabolismo. A tireóide é uma glândula localizada no pescoço, logo abaixo do pomo-de-adão e mede cerca de 5 cm de diâmetro.

Ela produz dois hormônios: a T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina). Esses hormônios são responsáveis por controlar o metabolismo, que é a velocidade com a qual o organismo gasta energia. Assim à medida que a concentração dos hormônios tireoideanos é reduzida no sangue o organismo funciona mais lentamente.

O diagnóstico é feito pela dosagem desses hormônios, mas também deve ser analisado o perfil lipídico, tendo em vista que a dislipidemia está associada ao hipotireoidismo.

No hipotireoidismo o organismo funciona de maneira mais lenta e uma consequência natural é o ganho de peso, um dos sintomas mais freqüentes e mais abordados.

Porém os pacientes costumam apresentar outros sintomas, como: intolerância ao frio, sonolência, constipação, diminuição do apetite, fraqueza muscular, raciocínio lento, depressão, cabelos secos, quebradiços e de crescimento lento (o mesmo ocorre com as unhas), queda de pálpebras e queda de cabelo.

Dentre as causas do hipotireoidismo está a falta de iodo (elemento usado pela glândula tireóide na fabricação dos hormônios), presente no sal de cozinha. Também pode ocorrer devido a anomalias genéticas na glândula ou devido à baixa produção do TSH, um hormônio produzido por outra glândula (o hipotálamo, localizado na cabeça) e que é responsável por estimular a produção dos hormônios tireóideos.

Quando a doença tem causa auto-imune (tireoidite de Hashimoto) pode ocorrer vitiligo e associação com outras doenças auto-imunes, como: diabetes mellitus, insuficiência adrenal, candidíase, hepatite auto-imune, etc.

O tratamento nutricional tem por objetivo promover a perda de peso e mantê-lo, com a prática de exercícios físicas e uma dieta com poucas gorduras; controlar a dislipidemia, evitando o aumento do LDL (“colesterol ruim”) e regular o funcionamento intestinal.

Recomenda-se ainda, consumir com moderação verduras crucíferas (tais como nabo, repolho, espinafre, couve, pêra e pêssego), pois estes parecem suprimir ainda mais o funcionamento da glândula.

Em contrapartida, o hipertireoidismocaracteriza-se pelo aumento na concentração dos hormônios tireoideanos no sangue, fazendo com que o organismo trabalha de forma mais acelerada, conseqüentemente levando à perda de peso.

Além da perda de peso, os sintomas mais comuns são

Fome excessiva, aumento do ritmo intestinal (podendo ocasionar diarréia), nervosismo, insônia, intolerância ao calor, fraqueza muscular, unhas quebradiças, cabelo seco e quebradiço, palpitações e cansaço. O diagnóstico também é feito pela dosagem dos hormônios T3 e T4.

A principal causa do hipertireoidismo é o bócio, que pode ser: difuso tóxico (doença auto-imune na qual o organismo produz anticorpos que estimulam a produção e a liberação de hormônios pela tireóide, podendo estar associado a outras doenças auto-imunes), multinodular tóxico (ocorre proliferação de diversos folículos da glândula, formando diversos nódulos, algumas vezes volumosos e visíveis) ouadenoma tóxico (nódulos únicos, em geral com mais de 3 cm de diâmetro, que produzem em excesso os hormônios da tireóide).

O tratamento nutricional envolve a promoção do ganho e manutenção do peso e controlar os sintomas

Assim, recomenda-se: aumentar o consumo de alimentos na dieta, para evitar maior perda de peso; aumentar a ingestão de alimentos como brócolis, couve-de-bruxelas, repolho, couve-flor, couve, folhas de mostarda, pêssego, pêra, soja, espinafre, nabo, pois estes ajudam a suprimir a produção de hormônios da tireóide; diminuir o consumo de fibras para evitar a diarréia e aumentar o consumo de água para repor as perdas sofridas devido a este sintoma; evitar o consumo de alimentos estimulantes (chás, cafés, nicotina e refrigerantes), pois estes podem aumentar os sintomas desta doença, tais como palpitações e tremores.

Como foi visto tanto o hipotireoidismo, quanto o hipertireoidismo são doenças que merecem atenção. Por isso não deixe jamais de consultar um médico para realizar um diagnóstico adequado e um nutricionista que irá fazer adaptações na sua dieta, para que você possa controlar os sintomas apresentados e tenha uma melhor qualidade de vida!

Quais os sintomas do hipotireoidismo

Encontre nossa página no  Pinterest   Facebook

Siga nós:
0
fb-share-icon0
20
fb-share-icon2998
Advertisements

lilica

Olá , “O segredo da saúde mental e corporal está em não se lamentar pelo passado, não se preocupar com o futuro, nem se adiantar aos problemas, mas viver sábia e seriamente o presente.”dicas de saúde, bem estar, cuidado com corpo e mente saudável . invista em você !! tenha uma boa qualidade de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou deste blog? Por favor, Compartilhe :)